Artigo da seção pessoas Maurício Pereira

Maurício Pereira

Artigo da seção pessoas
Música  
Data de nascimento deMaurício Pereira: 08-11-1959 Local de nascimento: (Brasil / São Paulo / São Paulo)

Biografia

Mauricio Gallacci Pereira (São Paulo SP 1959). Cantor, compositor, saxofonista e ator. Em 1985, cria, com André Abujamra, a banda Os Mulheres Negras e lança dois discos: Música e Ciência (1988) e Música Serve pra Isso (1990). Na década de 1990, participa como cantor do programa Fanzine, apresentado pelo escritor Marcelo Rubens Paiva, na TV Cultura. Em 1995, lança seu primeiro disco solo, Na Tradição. Realiza o primeiro show ao vivo via internet do Brasil em 1996, entrando para o Guinness Book (livro dos recordes). Em seu segundo CD solo, Mergulhar na Surpresa (1998), acompanhado pelo pianista Daniel Szafran, interpreta canções autorais, músicas italianas e modas de viola. O trabalho traz participação especial de Skowa, Luiz Waack, Tonho Penhasco, Eduardo Cabello, Paulo Freire, Paulinho Lepetit, Guello e Mário Manga.

Em 2003, grava seu terceiro disco, Canções que um Dia Você já Assobiou - vol.1, em que é apenas intérprete de canções populares dos mais variados autores, como Erasmo Carlos, Carlos Imperial, Adoniran Barbosa, Lamartine Babo e Guilherme Arantes. Retoma o trabalho autoral em 2007, com Pra Marte, seu quarto disco, com participação de Alice Ruiz, André Abujamra e Skowa e parcerias de Arthur de Faria, Daniel Szafran e um poema de Adélia Prado por ele musicado, Pranto para Comover Jonathan. Dois anos depois, grava um disco de marchinhas clássicas dos bailes de salão do Carnaval brasileiro, chamado Carnaval Turbilhão (2009), que apresenta faixas emendadas, feitas com a intenção de reproduzir o ritmo de um baile.

Além dos próprios discos, Mauricio Pereira atua como produtor musical em trabalhos do duo instrumental Bico de Pena, das cantoras Rita Monteiro e Rossanna Decelso, da Banda Paralela, de Armando Lôbo e de Arthur de Faria. Também assina a direção de shows de Hermeto Pascoal, Paulo Moura, Os Incríveis e Jerry Adriani, a direção musical de peças de teatro e a direção de dublagem musical de desenhos animados e videogames (Discovery Kids). Compõe trilhas para peças de teatro e documentários e, em 2009, faz consultoria musical da trilha do longa-metragem É Proibido Fumar, da diretora Anna Muylaert, que ganha o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro de melhor trilha sonora, em 2010.

Trabalha como ator (nos grupos de teatro Parlapatões e Jogando no Quintal) em propagandas e séries educativas (na TV Futura, TV Senac, TV Cultura), nas quais também elabora pesquisa e reportagem. Como jornalista, faz pesquisa, pauta e reportagem dos documentários que acompanham os shows gravados pelo Itaú Cultural para a série de DVDs Toca Brasil, com artistas da cultura popular. Em 2010, pesquisa conteúdo para o documentário sobre Itamar Assumpção, Daquele Instante em Diante, lançado pelo mesma instituição.

 

Comentário Crítico

Em Os Mulheres Negras já se pode identificar uma série de elementos da obra de Mauricio Pereira, como experimentalismos, lirismos, letras descritivas e sátiras. Exemplos do uso de humor estão presentes na música Xarope - A Levada, do disco de estreia: "Nosso objetivo é fazer música pop / e quem sabe algum um dia / ficar rico e xarope". Ou na versão de 38 segundos - à capela com sonoplastia orquestral de boca - de Samba do Avião, do mesmo LP, em que também há apropriações satíricas de Yellow Submarine, dos Beatles; Summertime, de Gershwin; e Peter Gunn, de Henry Mancini.

Em meio a essa diversidade rítmica de Os Mulheres Negras, Pereira não perde suas características caipiras e interioranas, mesmo tendo nascido na capital. A canção Imbarueri, do disco Música Serve pra Isso, traz esses elementos em meio a sons eletrônicos. Anos mais tarde, no seu segundo trabalho solo, Mergulhar na Surpresa, uma nova versão dessa música é feita, com um arranjo completamente diferente.

Fã confesso de emissoras AM e de seu repertório popular, Pereira mostra sua busca pelo senso comum, o kitsch e todos os gêneros considerados populares, entoando modas de viola, sambas clássicos, rock, pop e canções populares italianas. Recupera clássicos do Carnaval e transita pelos modismos, como na versão de Amor e o Poder (Canções que um Dia Você já Assobiou - vol. 1), versão em português de Cláudio Rabello para The Power of Love, e muito conhecida pela interpretação da cantora Rosana que torna famoso o verso "como uma deusa / você me mantém (...)".

Seja como compositor seja como intérprete, sua maneira de cantar se aproxima bastante da fala, principalmente em canções descritivas, como Um Dia Útil (Mergulhar na Surpresa) - em que relata um dia de trabalho de um músico - ou Trovôa (Pra Marte), ilustrando o passeio de uma pessoa apaixonada por São Paulo. O músico não se apoia em rimas, mas na força das imagens que lança com suas palavras, de maneira simples e direta, envoltas em melodias por vezes lineares e um instrumental capaz de ressaltar essas imagens.

Segundo o próprio artista, a polivalência o ajuda a bancar sua independência musical. Em outras palavras, fazer o que a música requer, sem subterfúgios, da maneira mais simples possível, inserindo e apreendendo elementos de outras linguagens, pois Pereira busca, sem preconceitos, utilizar até o mais ordinário em seu trabalho. A maneira com que agrega melodias e palavras comuns é o que, provavelmente, o destaca, principalmente em um universo urbano que abarca tendências de todo o Brasil e do mundo. E essa sonoridade urbana, tanto nas palavras quanto nos sons, está presente em seu trabalho, mesmo na parte mais "caipira", como na canção Modão de Pinheiros (Ou É por Isso que as Pessoas Mudam de Bairro), presente no disco Mergulhar na Surpresa. A moda, tocada com guitarra elétrica distorcida, conta de maneira bem-humorada a história de um casal que anda pelas ruas do Bairro de Pinheiros, na cidade de São Paulo.

A busca pela simplicidade, alterada por dissonâncias, elementos paródicos e desmontagens de clichês, permeia toda sua obra e é o alimento de sua inquietação, experimentação e bom humor. Justamente por ser tão raro e difícil traduzir em canções tantas influências e elementos aparentemente opostos de uma forma simples é que Mauricio Pereira possui uma obra reconhecida, influenciada pela vanguarda paulista.

Outras informações de Maurício Pereira:

  • Outros nomes
    • Maurício Gallacci Pereira
    • Maurício Gallaci Pereira
  • Habilidades
    • ator
    • Saxofonista
    • cantor/Intérprete
    • curador
    • compositor

Eventos relacionados (10)

Fontes de pesquisa (2)

  • Mauricio Pereira. In: Dicionário Cravo Albin de Musica Popular Brasileira. Disponível em: www.dicionariompb.com.br/mauricio-pereira Acesso em: 20 dez 2012.
  • VILELA, Ivan. Apresentação. Revista USP, São Paulo, n. 87, nov. 2010 Disponível em <www.revistasusp.sibi.usp.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-99892010000400002&lng=pt&nrm=iso>. Acesso 4 dez. 2012.

Como citar?

Para citar a Enciclopédia Itaú Cultural como fonte de sua pesquisa utilize o modelo abaixo:

  • MAURÍCIO Pereira. In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2017. Disponível em: <http://enciclopediaitaucultural.org.br/pessoa12409/mauricio-pereira>. Acesso em: 21 de Jul. 2017. Verbete da Enciclopédia.
    ISBN: 978-85-7979-060-7